Buscar
  • Henrique Botelho

Vem aí a ISO16.358-1 nova metodologia de testes para ar condicionado inverter

Atualizado: 20 de abr. de 2020


E ela está chegando, finalmente teremos no Brasil uma metodologia de testes que irá diferenciar e evidenciar os ganhos de energia de diferentes tecnologias (inverter e convencionais também chamados de ON / OFF).

Essa diferenciação de métodos de consumo de energia é extremamente necessária pois, até hoje, temos a mesma metodologia de testes para ambas tecnologias e, apenas para exemplificar o quão injusto e absurdo é isso vale dizer apenas que os testes de ar condicionado ainda hoje são baseados na norma ISO5151 e, de acordo com o anexo III da portaria 07 de 2011 do Inmetro as temperaturas de teste no Brasil são as seguintes:

a- Lado interno (evaporadora) - TBS (temperatura de bulbo seco) 26,7 ºC, TBU (temperatura de bulbo úmido) 19,4 ºC.

b- Lado externo (condensadora) - TBS 35,0 ºC e TBU 19,4 ºC

Ou seja, as condições de teste dão todos os parâmetros para as condições dadas acima e, a questão principal é de quanto tempo no ano as condições de temperatura estão com 35 ºC ou acima?

Estudos e normas indicam algo entre 1 e 2% apenas e, se o ar condicionado é testado em condições que serão expostos a no máximo 2% do tempo, como ficam os outros 98%?

Baseado nisso, foi feito um estudo com várias autoridades do ramo e foi criada a norma ISO16.358 que trata de se medir os parâmetros dos equipamentos de ar condicionado em cargas parciais (com temperatura abaixo de 35ºC) e desenvolvida uma fórmula para cálculo de consumo e capacidade baseada em dois testes obrigatórios e, se o fabricante quiser pode incluir um terceiro teste como opcional (teste esse que, se feito, aumenta em média 15% da eficiência do equipamento) conforme abaixo:

O primeiro teste continua padrão, nas mesmas condições de hoje (ainda será decidido se seguirá as temperaturas da portaria 07 do inmetro ou ISO16358), o segundo teste é nas mesmas condições de temperatura porém com 50% da capacidade e o terceiro teste (opcional) é com a mesma capacidade de 50% mas com temperaturas diferentes na unidade externa (29,0ºC TBS e TBU de 19,0ºC).

Ainda em tempo, a etiqueta de certificação de eficiência também mudará com aumento de escalas de classificação (ainda em discussão) e indicação de consumo de energia anual, mas como ainda não tivemos essas discussões no Inmetro (que a Special Air Ar condicionado irá particiapar) falaremos mais nos próximos dias . . .

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo